Postado em 08 de Abril às 14h09

5 locais com estratégias bem-sucedidas de combate ao Coronavírus

Cleiton Fossá | Vereador        Em um quadro global atingido por um vírus, os países lutam para lidar com o problema da melhor maneira. É possível focar mais no problema em si, que são as...

       Em um quadro global atingido por um vírus, os países lutam para lidar com o problema da melhor maneira. É possível focar mais no problema em si, que são as consequências, ou atentar-se e investigar as causas, para assim buscar soluções efetivas.

       Alguns países estão alcançando bons resultados, outros, nem tanto. Enquanto a China, Estados Unidos, Itália e Espanha sofrem com consequências mais drásticas, outros se sobressaem por empregar medidas efetivas que contém a propagação do vírus e dessa forma amenizam a crise.

       Entre os países que conseguiram êxito, se observa uma característica em comum das estratégias utilizadas: a realização de testes em massa, não apenas em pacientes graves. Para exemplificar este cenário, trouxemos cinco exemplos de locais que estão se saindo bem nessa luta.


Alemanha e seu índice baixo de mortes por Covid-19

       Após a certificação da situação de emergência, o governo alemão foi rápido e atuou principalmente, na redução de possibilidades de contágio. Deste modo, expandiram o número de exames, com o objetivo de identificar os portadores do vírus rapidamente e assim retardar a propagação da doença. Hoje o país é o quinto país com maior número de infectados no mundo pelo Covid-19, porém o número de vítimas fatais é muito menos do que outros países que possuem números semelhantes de infecções. São realizados por semana, 160 mil testes de diagnóstico.


Japão contraria estratégia de isolamento social

       Sendo o país com maior proporção de pessoas com mais de 65 anos do mundo e por apresentar alto nível de consumo de tabaco da população, o Japão seria terreno fértil para a propagação do vírus. Mas, também pensando em realizar testes na população, o país buscou identificar focos de infecção, grupos de contágio e isolá-los e assim controlou a proliferação da doença. Além disso, o governo fez recomendação de distanciamento, mas não optaram pelo isolamento social total. Apenas das pessoas e grupos identificados.


Singapura atua com detetives de doença

       Utilizando de uma estratégia avançada, o país utilizou detetives de doenças para descobrir onde o vírus estava e assim, cortou a cadeia de contágio. A detecção consiste em identificar a cadeia do vírus de uma pessoa para outra, ou seja, identificar a pessoa e todos seus contatos próximos para que sejam isolados o quanto antes.

      Por exemplo, ao saber que um motorista de táxi estava infectado, a polícia rastreia as pessoas que usaram o táxi e avisam, por mensagem de texto, para que permaneçam isolados.


Vo’Euganeo cidade da Itália e seu experimento único no mundo

       Na busca por diagnosticar o maior número de pessoas possíveis, a cidade conseguiu conter a epidemia local. Em uma escola da cidade, foi instalado um centro de análise para examinar todos os moradores de desejassem.

       Com quase todas as pessoas da cidade diagnosticadas, foram detectadas 89 pessoas infectadas pelo vírus. Essas foram ordenadas a permanecer em isolamento domiciliar por 14 dias. Nisso tudo, um fator chamou a atenção: destas pessoas infectadas entre 50% e 60% deles apresentaram poucos sintomas ou nenhum. 

     Dessa forma, as autoridades concluíram com o experimento inédito demonstrou que o período de gestação do vírus é de duas semanas e que qualquer estratégia de contenção deve levar em conta o alto número de pessoas de pessoas infectadas assintomáticas.


Coréia do Sul como exemplo no mundo

       Com a realização de cerca de 10 mil exames diários e medidas rigorosas de isolamento por regiões, o país vizinho do país o qual o vírus teve sua origem (China), a Coreia do Sul apresenta taxa de mortalidade baixas.

       Levou se em consideração uma das principais causas do problema de disseminação do vírus, que é a apresentação de poucos sintomas ou nenhum nas pessoas infectadas. Desta maneira, identificando não somente as pessoas que estão em caso grave e isolar todos casos.

 

 

 

Assessoria de Comunicação Vereador Cleiton Fossá

  • Cleiton Fossá | Vereador -

Veja também

Beneficiários do Bolsa Família recebem 3º parcela do auxílio emergencial18/06 A população cadastrada no programa Bolsa Família recebe a terceira parcela do auxílio emergencial. Os repasses de R$ 600 a R$ 1.200 obedecem ao calendário habitual do programa, que segue até 30 de junho. Segundo a Caixa Econômica Federal (CEF), nesta quinta-feira (18), a terceira parcela do Auxílio Emergencial será paga para 1,9 milhão......
Vereador Fossá denuncia poluição em rio02/03/18 Chapecó – Atendendo denúncia feita através do Gabinete Virtual, o vereador Cleiton Fossá esteve na linha São Francisco, interior de Chapecó, onde constatou a poluição do rio Monte Alegre. Conforme......
HRO tem certificado de entidade beneficente renovado23/06/17 Chapecó - Foi publicado na sexta-feira, dia 23, no Diário Oficial da União a Portaria 1.133, que defere, em grau de reconsideração, a renovação do certificado de entidade beneficente na área da saúde da Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira. A entidade......

Voltar para NOTÍCIAS