Postado em 01 de Julho de 2020 às 10h31

Cleiton Fossá participa de Audiência Pública de Prestação de Contas do Fundo Municipal de Saúde

Cleiton Fossá | Vereador Na manhã desta terça-feira 30, a Secretaria Municipal de Saúde realizou uma Audiência Pública no intuito de apresentar a prestação de contas do Fundo Municipal de...

Na manhã desta terça-feira 30, a Secretaria Municipal de Saúde realizou uma Audiência Pública no intuito de apresentar a prestação de contas do Fundo Municipal de Saúde, relativo ao 1º quadrimestre de 2020.

Na ocasião, profissionais da saúde, representantes da Prefeitura, da Câmara de Vereadores de Chapecó e demais participantes, acompanharam a apresentação dos dados relativos à saúde do município.

A exemplo do vereador Cleiton Fossá, que esteve atento a apresentação e questionou pontos específicos e pertinentes.

Em sua fala inicial, destacou que enquanto parlamentar, esteve à frente de ações em prol da saúde da população. “A Câmara de Vereadores autorizou muitas ações, somente a última foi mais de 6 milhões. Eu em específico consegui R$500 mil de emenda parlamentar para o Hospital da Criança”, afirma.

Fossá, ao todo, realizou sete questionamentos à coordenação da Audiência Pública sobre a situação vista atualmente na área da saúde, bem como, dos enfrentamentos que a população chapecoense vivencia no dia a dia. Além disso, foi o único participante da Audiência Pública a fazer questionamentos.

Conheça os pontos abordados por Cleiton Fossá durante a Audiência Pública:


Coronavírus

Chapecó é cidade com maior número de casos do Estado de Santa Catarina, segundo o Governo estadual. A pandemia é uma situação preocupante a altamente necessária de ser discutida.

Com isso, o vereador questionou sobre o repasse de R$9 milhões enviados à Chapecó, para ações de enfrentamento e combate à Covid-19.

Em seu entendimento, não estava claro, se esse repasse integra os 35% destinados à saúde, que resulta em R$ 56 Milhões e são específicos do município.



Respiradores

O vereador apontou também sobre a dificuldade em obter clareza da real situação dos leitos de UTI que se encontra Chapecó. Em resposta, foi comentando da existência de 75 respiradores para todo o HRO e mais 30 equipamentos para o tratamento da Covid-19.

Contudo, esses dados ainda são incertos, pois os últimos equipamentos enviados podem ser destinados aos municípios da Região.



Falta de medicamentos

Mesmo com os novos equipamentos, respiradores, que beneficiam a população, o Hospital Regional do Oeste enfrenta outra preocupante situação, a falta de medicamentos.

Os pacientes que estão em UTI, infectados com o novo coronavírus, precisam ficar sedados, e utilizam um medicamento difícil de ser importado, por conta dos trâmites e burocracias.

Segundo as informações da Audiência Pública, a falta de medicamentos é de nível nacional, pois a procura é bastante alta, uma vez que, o Covid-19, é uma realidade no mundo todo.



Testagem dos pacientes

Fossá aproveitou a Audiência para citar o caso da idosa que aguardou 15 dias para conseguir os resultados os exames de Covid-19. Esse exemplo aponta para a demora da atualização dos casos no município e o retorno para o paciente que pode estar infectado com a doença.

Com a atualização precária, os cidadãos recebem informações desatualizadas a administração pública, trabalha sem mesmo estar ciente da situação epidêmica que o município enfrenta.



Procedimentos suspensos e outros liberados

Com a pandemia, inúmeros atendimentos foram paralisados ou suspensos e somente com o processo de flexibilização e retorno gradual das atividades que foi autorizado o retorno de alguns atendimentos eletivos.

Em Chapecó, segundo o vereador, mesmo com esse retorno, há pacientes que não estavam sendo atendidos. Esses pacientes, como os de fisioterapia, e pós operatório, precisam do atendimento contínuo, sem bloqueio ou interrupção no meio do processo.

Diante do contexto de distanciamento social, e da liberação de alguns serviços, é necessário que os atendimentos de saúde se organizem para que os pacientes com não interrompam os seus tratamentos.

Assim, é preciso considerar condições de infraestrutura, recursos humanos e logística para que esses pacientes recebam os medicamentos para tratar ou realizar os procedimentos necessários.



Fila de Espera

Fossá destacou que, a pandemia potencializou uma situação que já era agravante, as filas de espera. No município, segundo os dados apresentados, até o momento, 69 mil procedimentos, entre consultas e atendimentos estão na fila de espera.
Com isso, cobrou ação de resolução desta problemática que afeta diretamente o povo chapecoense.



Centros de Saúde da Família

Outro ponto importante, foi a solicitação de informação do vereador, sobre a atual situação das obras dos Centros de Saúde da Família que ainda não estão prontas.

As obras que iniciaram em 2016, estão atrasadas desde o ano de 2017, ou seja, três anos que as Unidades deveriam estar à serviço da população. Entretanto, segundo os apontamentos da Audiência Pública, será preciso aguardar cerca de 5 meses para a conclusão das obras.

Em um dos casos, o prazo apontado foi de 9 meses para a finalização da construção que iniciou em 2016 e até hoje não está pronta.


Para finalizar, o vereador aproveitou o momento para reforçar o seu posicionamento em vista da pauta da saúde. Para além disso, citou sobre a responsabilidade do vereador de atuar sempre com o povo e para o povo.

“Me coloco sempre à disposição da saúde, e no compromisso de auxiliar. A saúde de Chapecó é para todos e nós precisamos que ela funcione muito bem”, conclui.

 

 

 

>>> Fique por dentro da atuação de Cleiton Fossá pelo WhatsApp, ou através das redes sociais: Facebook e Instagram.



Assessoria de Comunicação Vereador Cleiton Fossá

  • Cleiton Fossá | Vereador -

Veja também

Os efeitos psicológicos do isolamento social29/03/20        Diante de uma situação atípica, como essa, causada pela pandemia do novo coronavírus, é natural que as nossas emoções estejam abaladas, assim como o nosso psicológico. Principalmente, pelo fato de que, a maioria de nós, não está frequentando seu local de trabalho, estudo e também às áreas de......
CPI do Asfalto é instaurada22/10/13 Chapecó - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará possíveis irregularidades em ordens de serviço dadas pela administração municipal para pavimentação asfáltica foi instaurada oficialmente hoje (22) na Câmara de Vereadores de Chapecó, após o......

Voltar para NOTÍCIAS