Postado em 09 de Junho de 2020 às 17h19

Dia Mundial da Imunização

Cleiton Fossá | Vereador Ainda no mês de março, a Organização Mundial da Saúde decretou pandemia do novo coronavírus. De lá pra cá, tem-se discutido muito sobre a cura para a doença...

Ainda no mês de março, a Organização Mundial da Saúde decretou pandemia do novo coronavírus. De lá pra cá, tem-se discutido muito sobre a cura para a doença da Covid-19. Centros de pesquisa do mundo todo, buscam vacina contra o vírus que já infectou quase 7 milhões de pessoas.

A doença, põe em evidência a importância de investimentos na área sanitária, da saúde, de pesquisa científica e hoje, mais do que nunca, da importância da vacinação. Nesta terça-feira, 9, em que se comemora o Dia Mundial da Imunização, a data soa como um alerta e reflexão.

De acordo com as informações do Ministério da Saúde, das vacinas disponíveis hoje no SUS, 96% são produzidas no Brasil ou estão em processo de transferência de tecnologia. O Brasil é um dos poucos países do mundo, a oferecer vacinação gratuita, mas, apesar disso e em meio a pandemia, existe baixa procura por vacinas nas Unidades de Saúde.

Segundo a Unicef, 117 milhões de crianças ficarão sem vacina de sarampo por causa do cenário de pandemia e de questões de estrutura.

Médicos e especialistas apontam que, para além da proteção individual, a vacina atua como protetora da sociedade no todo, no combate e controle de surto de doenças e na prevenção do seu agravamento.

Em 2019, doenças que já haviam sido erradicadas ou controladas, como o sarampo, por exemplo, retornaram ao nível elevado de casos. Foram 526 municípios com casos confirmados de Sarampo em todo o país.

Conforme dados da Tabela de Distribuição dos casos confirmados de sarampo, coeficiente de incidência e semanas transcorridas do último caso confirmado, segundo Unidade da Federação de residência, Brasil, 2019, Santa Catarina está entre os cinco estados com mais casos de Sarampo.

Atualmente, um adulto com a sua situação de vacina regularizada, precisa tomar a cada 10 anos, exemplo: (dT – dupla adulta, contra difteria e tétano), exceto a vacina contra o vírus Influenza (gripe), que é atualizada anualmente para pacientes que integram os grupos prioritários.

Existe um ditado popular que se aplica a este dia: “melhor prevenir do que remediar". A vacinação é uma medida massiva de proteção à população. “Por isso, não podemos deixar de buscar as vacinas disponíveis nas salas de vacinação, nas Unidades Básicas de Saúde .”

 

 

Fique por dentro da atuação do Vereador Cleiton Fossá pelo WhatsApp, ou através das redes sociais: Facebook e Instagram.


Assessoria de Comunicação Vereador Cleiton Fossá

 

 



  • Cleiton Fossá | Vereador -

Veja também

Samicler Gonçalves: O homem que se recusou a morrer16/04/18 Chapecó – O menino de camiseta branca e calça azul estava sentado em frente a sala. Movimentou os pés e mexeu rapidamente as mãos. Olhou de um lado para o outro. Repetiu duas vezes os movimentos com a cabeça. Pegou o tablet e fixou os olhos no horário. “Nove e oito”, expressou baixinho. Uma, duas, três e uma sequência incontável de......
Vereador Fossá encaminha pedidos da comunidade31/03/16 Chapecó - Encerrado os dois primeiros meses de sessões, o vereador Cleiton Fossá apresentou pedidos de melhorias em 22 bairros da cidade, totalizando 50 ruas. As principais solicitações são referentes à conservação de vias públicas, falta de iluminação......

Voltar para NOTÍCIAS