Postado em 13 de Setembro de 2017 às 18h15

Nota de esclarecimento sobre pedido de cassação de Cleidenara

Chapecó ' A respeito de informações publicadas em determinados veículos de imprensa, cabe esclarecer: os vereadores que assinaram a denúncia de quebra de decoro parlamentar contra a vereadora afastada Cleidenara Weirich tinham consciência de que não poderiam votar no pedido de cassação, com base no decreto-lei 201/67, que remonta à época da Ditadura Militar. Os seis vereadores assinaram o documento como forma de demonstrar para a sociedade de que não compactuamos com corrupção ou proteção a quem comete atos ilícitos, ademais, vale destacar que qualquer pessoa, cidadão e até a imprensa, poderia ter denunciando a vereadora de forma formal. Ainda, sabedores que nossos suplentes serão convocados para votar, a oposição não será prejudicada, pois estará representada no ato de votação da denúncia. Vale mencionar que a fundamentação que consta no parecer é a mesma constante na denúncia apresentada na coletiva à imprensa no dia 11 de agosto, bastava ser lida! Eu não considero um revés da oposição, pelo contrário, tivemos coragem de combater a corrupção local, assinando a denúncia. A sociedade chapecoense precisa ser informada que há vereadores comprometidos com a moralidade e que fazem política com muita seriedade, cumprindo o papel de fiscal e julgador político, como é o caso dos atos cometidos pela ex-secretária de saúde, vereadora mais votada da eleição de 2016. Diante das provas contidas na Operação Manobra de Osler, não há dúvidas da quebra de decoro. Lamento que a discussão deste assunto esteja apenas em questões 'formais'e não do 'mérito', que deveria ser o centro da questão, em especial as conversas no aplicado WhatsApp no período eleitoral entre agentes públicos e médicos com a então candidata, agora vereadora denunciada. Lembrando que a fim de elucidar isso, apresentei pedido de criação da CPI da Saúde, pois a população está sentido na pele os desmandos cometidos nos últimos anos.   Cleiton Fossá, vereador.

Veja também

Fossá critica reajuste do transporte coletivo21/11/16 Chapecó - O reajuste do valor da tarifa do transporte coletivo, anunciado pela prefeitura de Chapecó na noite da última sexta-feira, pegou a população chapecoense de surpresa. O aumento foi de 11,62% para o valor antecipado no cartão e 12,07% na compra na hora, passando para R$ 2,98 e R$ 3,25, respectivamente. Para o vereador Cleiton Fossá, este novo reajuste penaliza não apenas os trabalhadores, mas os empresários,......
Verde Vida pede reconsideração do certificado de filantropia15/12/17 Chapecó – O deputado federal Valdir Colatto protocolou ofício, no Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), solicitando que seja reconsiderada a decisão sobre a Certificação de Entidade Beneficente de......

Voltar para NOTÍCIAS