Postado em 19 de Novembro de 2014 às 15h56

Reunião discute novos cursos no IFSC

Câmara (84)Chapecó (304)Cleiton Fossá (314)Reunião (32)Vereador (224)
Chapecó - A Câmara de Vereadores de Chapecó realizou na tarde desta terça-feira (18) uma reunião de trabalho para tratara sobre a criação de novos cursos no Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Campus Chapecó. A iniciativa foi do vereador Cleiton Fossá, que por conta de uma cirurgia na perna, realizada sábado (15), não pode estar presente. Deste modo, o encontro foi conduzido pelo vereador Cleber Ceccon. O diretor de expansão do IFSC, Caio Martini Monti, esteve presente na reunião representando a reitoria da Instituição, juntamente com o diretor-geral do Campus Chapecó, Mauro Ceretta Moreira. A presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Chapecó (Siticom), Izelda Oro, também participou. Primeiramente, foram expostas as necessidades do IFSC Chapecó e as demandas do Siticom. Monti e Moreira falaram sobre a urgente demanda de expansão da área física para poder ofertar novos cursos técnicos. Recentemente, os vereadores aprovaram projeto oriundo do executivo que destina mais uma área de 7 mil metros quadrados ao IFSC. Os diretores abordaram outras necessidades, como o asfaltamento da via de acesso ao Campus, no bairro Seminário, e a colocação de um redutor de velocidade nas proximidades. Encaminhamentos Como encaminhamento, ficou definido que o Campus Chapecó deve implementar o Certifique, que é um programa que valida a competência dos profissionais que atuam na área da construção civil. O IFSC confirmou que será criado o curso de técnico em segurança no trabalho, provavelmente já para 2015. Por sugestão do Siticom, será estudado ainda a instalação do curso de técnico em edificações e de gestão para pequenos e microempreendedores.

Veja também

Fossá visita Hospital da Criança e constata demora no atendimento15/05/15 Chapecó – O vereador Cleiton Fossá esteve no final da tarde de sexta-feira (15) no Hospital da Criança (HC) e presenciou dezenas de mães e pais com seus filhos nos colos, esperando atendimento, em alguns casos a mais de seis horas. Além disso, como no local não há espaço para espera de familiares, as pessoas precisam ficar do lado de fora do......

Voltar para NOTÍCIAS