Postado em 24 de Junho de 2015 às 21h38

São Miguel é exemplo para Chapecó, diz Fossá

Câmara (84)Chapecó (304)Cleiton Fossá (314)Efapi (9)Vereador (224)
Chapecó - O vereador Cleiton Fossá usou a tribuna da Câmara de Chapecó, na sessão realizada quarta-feira (24), para abordar sobre o cancelamento da Efapi 2015. O parlamentar novamente criticou a decisão do governo municipal em suspender a expofeira alegando falta de recursos devido à crise econômica. Como contraponto, Fossá trouxe a informação de que a Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de São Miguel do Oeste (Faismo), que acontecerá de 12 a 15 de novembro, não apenas está confirmada, mas ainda terá ingresso gratuito. Fossá apresentou aos vereadores a fala do presidente da Comissão Organizadora da Faismo, Írton Lamb, que traz expectativa de recorde de público e de negócios. 'Lages fez a Festa do Pinhão, São Miguel do Oeste terá a Faismo, com ingresso gratuito e previsão de recorde em negócios. Então a alegação de que a Efapi foi cancelada pela crise que o Brasil atravessa não faz sentido', diz. Fossá apresentou requerimento solicitando dados técnicos à prefeitura sobre o cancelamento da Efapi. O pedido será discutido na sessão desta sexta-feira (26). Ao cancelar a Efapi, a administração municipal de Chapecó não apresentou dados técnicos, como previsão de receitas e despesas, por exemplo, bem como, quanto o poder público federal e estadual iriam contribuir com recursos. Na Faismo, cita Fossá, 50% dos espaços no Pavilhão I já foram comercializados e 35% estão com negociação em andamento. 'Tenho certeza de que a Efapi movimentaria a economia de Chapecó, aquecendo diversos setores. Infelizmente, faltou coragem à administração municipal e o exemplo da Faismo é a prova', finaliza.

Veja também

Fossá volta a pedir padronização dos pontos de ônibus20/01/16 Chapecó - A Lei Municipal 5.669/2009, que trata sobre a padronização dos abrigos de passageiros do transporte coletivo de Chapecó, foi aprovada pela Câmara de Vereadores em novembro de 2009. Mais de seis anos depois, entretanto, ela ainda não entrou em vigor. O motivo é que o cronograma para padronização dos pontos de ônibus deveria acontecer a partir de um decreto municipal, que ainda não foi publicado pelo poder......

Voltar para NOTÍCIAS