Postado em 23 de Abril de 2019 às 14h43

Educação: Um direito de todos

        Todos nós, cidadãos de Chapecó e do Brasil independente da idade ou classe social estamos em um constante processo de aprendizagem. 

        Com o desenvolvimento do Estado Moderno a expansão da industrialização e fortalecimento dos Estados Democrático de Direito a educação passou também a ser um dever do Estado.

        Sendo assim, no Brasil, a Constituição Federal de 1988, estabeleceu em seu artigo 205 que “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.


Quando se inicia a educação?

        A educação inicia desde nosso primeiro contato com o mundo, quando começamos aprender os modos de vida ao nosso redor mas, a educação escolar, a educação institucionalizada deve propiciar ao cidadão a possibilidade de estudar, refletir, buscar aprender e compartilhar das ideias que permeiam a sociedades. 

       Para isso, há de se diferenciar a educação enquanto um processo cultural de aprendizagem dos modos de viver de determinada sociedade e a educação formal. 

       A educação formal é regulada por inúmeras legislações e documentos que visam garantir parâmetros de qualidade e assegurar o direito constitucionalmente definido à educação. Neste contexto, vários aspectos devem ser considerados, desde a estrutura física dos espaços educacionais, a organização dos conteúdos a qualificação e atuação dos profissionais da educação, dentre inúmeros outros.

        É por isso que a própria Constituição Federal define em seu artigo 206 que o ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

  • Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;
  • Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;
  • Pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;
  • Gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
  • Valorização dos profissionais da educação escolar, garantidos, na forma da lei, planos de carreira, com ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, aos das redes públicas; 
  • Gestão democrática do ensino público, na forma da lei;
  • Garantia de padrão de qualidade.

        Piso salarial profissional nacional para os profissionais da educação escolar pública, nos termos de lei federal. 

        Além disso, a Constituição Federal ainda define que o dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de:

  • Educação básica obrigatória e gratuita dos 4 (quatro) aos 17 (dezessete) anos de idade, assegurada inclusive sua oferta gratuita para todos os que a ela não tiveram acesso na idade própria;
  • Progressiva universalização do ensino médio gratuito;
  • Atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino;
  • Educação infantil, em creche e pré-escola, às crianças até 5 (cinco) anos de idade; 
  • Acesso aos níveis mais elevados do ensino, da pesquisa e da criação artística, segundo a Oferta de ensino noturno regular, adequado às condições do educando;

 

  • Atendimento ao educando, em todas as etapas da educação básica, por meio de programas suplementares de material didáticoescolar, transporte, alimentação e assistência à saúde. 

        O acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito público subjetivo e o não-oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder Público, ou sua oferta irregular, importa responsabilidade da autoridade competente.

        A lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 estabelece as diretrizes e bases da educação nacional é por meio dela que se definem os principais direitos dos estudantes e deveres do estado em relação à educação.

        O Sistema Estadual de Educação de Santa Catarina é definido também pela lei complementar nº 170, de 07 de agosto de 1998.

        Já o Sistema Municipal de Ensino de Chapecó é regido pela lei complementar nº 48, de 22 de dezembro de 1997.

        Existem ainda os Planos de Educação, nacional, estadual e municipal que determinam as diretrizes, metas e estratégias para a política educacional de cada ente da federação durante determinado período.

        Conhecer as diferentes legislações que definem o sistemas educacionais e a educação em sim, é de extrema importância, pois, assim o cidadão saberá quais sãos seus direitos e deveres.

        O conhecimento permite o exercício da cidadania de forma mais efetiva à todos os cidadãos. 

        Muitas demandas relacionadas à educação chegam até nosso gabinete, tanto aquelas relacionadas a busca por vagas em escolas e Centros de Educação Infantis - CEIMs, estrutura das escolas, funcionalismo público na área da educação, entre outros. 


Demanda por vagas em escolas e Ceim's

        Conforme Edital nº 020/2018 da Secretaria Municipal da Educação, o Município de Chapecó deve oferta vagas em Educação Infantil nas seguintes condições:

  • Em pré escola para crianças de 04 a 05 anos de idade, com atendimento de 04 horas diárias, com exceção da escola Parque Cidadã Leonel de Moura Brizola que possui atendimento integral;
  • Em maternal para crianças de 02 a 03 anos de idade, com atendimento em meio período ou período integral conforme disponibilidade de vagas em cada local. 
  • Em berçário para crianças de 04 meses completos à 1 ano e 11 meses de idade, com atendimento em meio período ou período integral conforme disponibilidade de vagas em cada local. 


As turmas serão organizadas da seguinte forma:

  • Pré-escolas: número máximo de 25 crianças por turma;
  • Maternal: número máximo de 20 crianças por Turma;
  • Berçário: número e 15 crianças por turma, podendo chegar até 21 crianças. 


        Para o caso das vagas em período integral, os critérios de preferência são os seguintes:

  • Crianças em situação de risco e vulnerabilidade;
  • Famílias que recebem Bolsa Família;
  • Crianças em situação de tutela, guarda ou abrigo;
  • Crianças que tenham pais ou responsáveis menores de 18 anos de idade e estejam regularmente matriculados no Ensino Fundamental , Ensino Médio ou EJA;
  • Crianças que possuam pais de baixa renda;
  • Crianças da comunidade em geral.

        Além disso, para realização da matrícula, o Edital 020/2018 SEDUC, define que deverá ser observado o zoneamento da área territorial das Instituições de ensino.

        A maioria das demandas relacionadas à educação que chegam ao nosso gabinete, estão relacionadas a falta de vagas principalmente na educação infantil do município. Se por um lado, existe a necessidade de garantir o acesso à educação às crianças chapecoenses, por outro, deve-se garantir a qualidade de ensino.

        É nesse sentido, que o investimento em educação deve ser constante e permanente, não há como manter as mesmas estruturas precárias de ensino para sempre, pois, a população cresce e gera demandas significativas de acesso à educação que precisam ser atendidas.

        A inexistência de vagas não pode ser uma justificativa para negar, a uma criança e seus familiares, o acesso à educação. É obrigação do município assegurar os direitos das crianças e fortalecer a qualidade e oferta do ensino.

        O que você pode e deve fazer caso seja negada a vaga nem Escolas ou CEIM para seus filhos:

  • Protocolar um requerimento na Secretaria Municipal de Educação;
  • Exigir o indeferimento por escrito se negada novamente;
  • Protocolar um novo requerimento ao Ministério Público (MP), Conselho Tutelar e/ou na Defensoria Pública.

        “Quando um cidadão ou cidadã nos procura, orientamos sobre as regras leis de acesso à educação e auxiliamos na elaboração de requerimentos necessários”, destaca o vereador Cleiton Fossá.

 

Estrutura e segurança das escolas de Chapecó

        O Vereador Cleiton Fossá realiza, desde o primeiro ano de seu mandato, fiscalizações nas escolas. Foi assim que em 2013 o Vereador identificou diversas irregularidades nas Escolas e Ceims municipais, que chegou a ser alvo de uma denúncia ao Ministério Público em razão da negligência do Poder Executivo Municipal em resolver o problema. 

        Neste ano de 2019, o Vereador foi novamente visitar as escolas municipais e identificou que muitas daquelas que em 2013 estavam com estrutura precária, ainda permanecem sem os devidos investimentos e reparos. 

        “É lamentável que depois de tanto tempo pouca coisa tenha sido efetivamente feita, digo isso porque além do prejuízo que as multas aplicadas à prefeitura geram para a população, as crianças permanecem em risco pela falta de segurança das estruturas escolares”. Destaca o Cleiton Fossá.


Funcionalismo público e concursos na área da educação

        Outro assunto que tem chegado ao gabinete por meio de nossas redes sociais e pelo gabinete virtual, diz respeito aos concursos e funcionalismo público no âmbito do município de Chapecó.

        Como é o caso de V. B que nos escreveu relatando que “o município realizou concurso público (Edital n. º 001/2017) o qual previa a vagas e cadastro reserva para várias disciplinas, dentre elas especificamente a disciplina de Arte (item 2.1.3 do edital), contudo a Secretaria de educação municipal, após realização do concurso, convocaram apenas 2 pessoas que foram aprovadas na disciplina de arte (embora o edital do concurso previsse 6 vagas + cadastro reserva) tomamos conhecimento que serão contratados para ministrar a disciplina de arte de 1ª a 5ª série, os pedagogos”. 

        Prestamos orientações por meio de nosso gabinete, auxiliando na busca por informações e esclarecimentos dos órgãos competentes.

        Nesse caso, vale ressaltar que a Súmula 15 do Superior Tribunal Federal, define que dentro do prazo de validade do concurso, o candidato aprovado tem direito à nomeação, quando o cargo for preenchido sem observância da classificação.

        O surgimento de novas vagas ou a abertura de novo concurso para o mesmo cargo, durante o prazo de validade do certame anterior, não gera automaticamente o direito à nomeação dos candidatos aprovados fora das vagas previstas no edital, ressalvadas as hipóteses de preterição arbitrária e imotivada por parte da administração, caracterizada por comportamento tácito ou expresso do Poder Público capaz de revelar a inequívoca necessidade de nomeação do aprovado durante o período de validade do certame, a ser demonstrada de forma cabal pelo candidato.

        Assim, o direito subjetivo à nomeação do candidato aprovado em concurso público exsurge nas seguintes hipóteses:

I – Quando a aprovação ocorrer dentro do número de vagas dentro do edital;

II – Quando houver preterição na nomeação por não observância da ordem de classificação;

III – Quando surgirem novas vagas, ou for aberto novo concurso durante a validade do certame anterior, e ocorrer a preterição de candidatos de forma arbitrária e imotivada por parte da administração nos termos acima.
[Tese definida no RE 837.311, rel. min. Luiz Fux, P, j. 9-12-2015, DJE 72 de 18-4-2016, Tema 784.]

 

Defendendo o direito dos cidadãos

        Se você, cidadão de Chapecó, possui demandas relacionadas a educação, envie suas dúvidas e explique-nos a sua situação por meio do nosso Gabinete Virtual, buscaremos lhe orientar sobre as ações que podem ser feitas e estaremos pressionando e cobrando os responsáveis para que tomem providências necessárias para resolver!



Assessoria de Comunicação Vereador Cleiton Fossá

Veja também

Fossá reassume na Câmara de Chapecó04/05/15 Chapecó - O vereador Cleiton Fossá reassumiu nesta segunda-feira (4) sua cadeira na Câmara de Chapecó, após dois meses de licença não remunerada, quando o suplente Honorino Bosco esteve como vereador. Fossá aproveitou o período licenciado para realizar visitas em bairros, comunidades, comércio e empresas, e dará encaminhamentos às demandas colhidas. Conforme Fossá, o foco do mandato segue sendo discutir assuntos de......
Justiça obriga prefeitura de Chapecó a fornecer informações16/05/17 Chapecó - O vereador Cleiton Fossá obteve sucesso em mais um mandado de segurança impetrado na 1ª Vara da Comarca de Chapecó. Desta vez, Fossá apresentou, diretamente na prefeitura de Chapecó, oito requerimentos com pedidos de informações sobre atos públicos......
Projeto prevê maior segurança em agências bancárias30/10/17 Chapecó - O vereador Cleiton Fossá apresentou projeto de lei que pretende garantir maior segurança aos usuários de instituições bancárias públicas ou privadas e cooperativas de crédito localizadas no município. A proposta determina a contratação de vigilância......

Voltar para NOTÍCIAS