Postado em 10 de Fevereiro de 2014 às 16h25

Fossá: 'fato certo da CPI do Asfalto foi comprovado"

Vereador (224)Investigação (5)CPI Do Asfalto (5)Cleiton Fossá (314)Chapecó (304)
Chapecó - Membro da CPI do Asfalto, o vereador Cleiton Fossá comenta que os documentos apresentados pela prefeitura de Chapecó e pela Planaterra comprovam o fato certo da CPI, ou seja, que houve concentração de ordens de serviço no período pré-eleitoral, com as obras sendo executavas após. Conforme Fossá, isso comprova a fala - que deu origem à CPI - do vereador Dino Dall Rosa, na tribuna da Câmara, em 20 de agosto de 2013, quando ele afirmou que a prefeitura de Chapecó deu ordens de serviço antes das eleições, 'porque nós tínhamos medo que não votassem em nós e depois não fizeram o asfalto'. Para Fossá, o papel desta CPI é investigar se a fala de Dall Rosa era verdadeira ou se ele estava brincando, como afirmou depois em sua defesa. 'Analisei os documentos e comprovei que a fala do vereador Dino era verdadeira; a prefeitura criou uma expectativa na comunidade, pois prometeu asfalto para a população antes da eleição e não fez', disse Fossá. Além do fato certo da CPI, a análise dos documentos comprovou também que houve comercialização de trechos de asfalto acima do valor global do contrato, ou seja, 'prometeram mais do que podiam executar', resume Fossá. 'Espero que o relatório final traga essas informações', finaliza.

Veja também

Horário do comércio: em busca de entendimento26/08/15 Chapecó - Deu entrada na Câmara de Vereadores de Chapecó requerimento pedindo a realização de audiência pública para discutir o projeto 139/15, que propõe a regulamentação do horário do comércio no município. Conforme o autor do requerimento, vereador Cleiton Fossá, é preciso que haja diálogo entre os sindicato dos trabalhadores e entidades empresariais para que seja construído encaminhamento que beneficie......
Caso Pelicioli: Vereadores solicitam parecer jurídico23/04/14 Chapecó - Os vereadores de oposição na Câmara de Chapecó - Cleiton Fossá, Marcilei Vignatti, Nacir Marchesini e Cleber Ceccon - encaminharam ofício ao procurador jurídico da Casa, Luiz Junior Peruzzolo, solicitando parecer se houve ou não quebra de decoro......

Voltar para NOTÍCIAS