Postado em 30 de Julho de 2018 às 17h31

Obra do Parque Tecnológico de Chapecó será retomada

Cleiton Fossá | Vereador Chapecó – O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Adenilso Biasus, assinou na tarde desta segunda-feira, dia 30, a ordem de serviço de...

Chapecó – O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Adenilso Biasus, assinou na tarde desta segunda-feira, dia 30, a ordem de serviço de contratação da empresa que vai finalizar a obra de construção do Parque Científico e Tecnológico de Chapecó. O ato foi realizado na sala de reunião da prefeitura, e contou com a presença do vereador Cleiton Fossá, uma vez a matriz econômica da tecnologia e inovação é uma das bandeiras do mandato.

A expectativa é que a obra seja entregue em fevereiro do próximo ano. O Parque Científico e Tecnológico de Chapecó é um dos 13 Centros de Inovação que estão em construção em Santa Catarina, através do Governo do Estado, em um projeto tripartite, que envolve prefeituras e universidades. A construção do Centro de Inovação de Chapecó iniciou em 2014, mas está parada, uma vez que a empresa responsável abandonou a obra, após problemas financeiros.

Movimentação econômica

Biasus afirma que a tecnologia e inovação já representa 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) catarinense. Fossá lembra que somente no passado as empresas do ramo em Santa Catarina movimentaram R$ 15 bilhões, sendo que na região de Chapecó são 110 empresas integradas ao Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec), sendo que juntas geram mais de 3 mil empregos diretos, e movimentam, anualmente, cerca de R$ 300 milhões.

Luta do mandato

Cleiton Fossá recorda que a efetivação do Parque Científico e Tecnológico de Chapecó é uma luta desde o início de seu mandato. Inclusive, no dia 4 de junho, foi realizada uma audiência pública para debater a construção, infraestrutura e forma de gerenciamento do local. “Tecnologia e inovação é uma matriz econômica emergente e tem missão primordial na geração de empregos e no desenvolvimento social de toda a região Oeste”, explica o vereador.

O empreendimento

O primeiro edifício do Parque Científico e Tecnológico tem projeto desenvolvido de 3.637,45 m², a ser construído em um terreno de 2.231,33 m², junto a Unochapecó, situado na rua Eduardo Pedroso da Silva, no bairro Efapi. O terreno foi doado pela Fundeste, mantenedora da Unochapecó, à prefeitura de Chapecó. Até o momento já foram investidos R$ 4,8 milhões na obra, recursos do Governo do Estado, sendo que o custo total previsto é de R$ 9 milhões.

Objetivos do Parque

Os principais objetivos do Centro de Inovação é transferir conhecimento para a região de Chapecó, primando pelo desenvolvimento e competitividade dos diversos setores apoiados; permitir integração entre setores produtivos locais; atrair novas empresas; dar condições para o surgimento de startups; oferecer suporte técnico e serviços especializados; e propiciar a evolução de ideias, projetos e processos no âmbito dos setores públicos e privados.

Conselho Municipal

A Política Municipal de Incentivo à Inovação e Tecnologia, conhecida como Lei da Inovação, e o Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação (CMCTI), foram criados no ano de 2013. A Câmara de Chapecó realizou, através de proposta de Fossá, três reuniões de trabalho com o objetivo debater esta nova matriz econômica. O vereador ressalta que este projeto teve a participação de diversas entidades e que foi uma construção coletiva da sociedade.

 

Bruno Pace Dori, Assessoria de Comunicação Cleiton Fossá

Veja também

Resumo da semana: medidas de enfrentamento ao coronavírus21/03        De acordo com o Ministério da Saúde, o Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China, provocando a doença chamada de coronavírus (COVID-19).        Vivemos em um......
Agricultura Familiar: geração de riquezas econômicas e sociais23/04/18 Chapecó – A agricultura da região Oeste se constitui em um dos mais importantes segmentos de nossa economia. Por sua vez, conforme apontam os dados censitários do IBGE, os empreendimentos familiares correspondem a 89,5% do total de......

Voltar para NOTÍCIAS