Postado em 10 de Maio de 2016 às 21h11

Prefeitura de Chapecó cometeu pedalada fiscal e causou prejuízo ao Simprevi

Chapecó - A base governista na Câmara de Chapecó rejeitou o requerimento do vereador Cleiton Fossá que solicitava informações sobre o ato normativo de autorização do acordo de parcelamento de dívida da prefeitura com o Fundo Previdenciário (Simprevi). Não houve autorização legislativa para que administração municipal firmasse o acordo. 'A falta de aprovação do Poder Legislativo configura que a prefeitura de Chapecó cometeu pedalada fiscal', resume Fossá. Além da pedalada fiscal, o vereador traz a informação de que entre dezembro de 2014 e maio de 2015 a atual administração municipal deixou de pagar a contribuição previdenciária dos servidores públicos, valor que ultrapassa R$ 5 milhões. 'Ao não depositar os recursos nos prazos certos e sendo um Fundo público, além de prejuízo aos servidores, é latente o prejuízo ao erário público, podendo configurar improbidade administrativa', complementa Fossá. Fossá explica que a comprovação do não pagamento da cota patronal gerou prejuízo ao Simprevi, pois não houve os rendimentos ao Fundo. Ainda, com o acordo feito para o pagamento dos valores atrasados, a prefeitura de Chapecó pagará correção monetária e juros, portanto, o valor devido pode dobrar. 'Na verdade, quem vai pagar é a população', diz. Com a reprovação do pedido de informações, Fossá encaminhará toda a documentação ao Ministério Público.

Veja também

Reunião discute clandestinidade de marmorarias24/09/13 Chapecó - Foi realizada na tarde de ontem, no plenário da Câmara de Vereadores de Chapecó, reunião de trabalho sobre a forma de deliberação de funcionamento, concessão de alvarás sanitários, e exigências para o funcionamento das sociedades empresariais dos setores de mármores, granitos e afins, com enfoque nos processos de produção e consequente manutenção da preservação ambiental. A iniciativa foi proposta através......
A importância da agricultura familiar para Chapecó28/05/18 Chapecó – A agricultura se constitui em um dos mais importantes segmentos da economia no Oeste de Santa Catarina. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os empreendimentos familiares correspondem a 89,5% do......

Voltar para NOTÍCIAS