Postado em 14 de Março de 2018 às 15h40

Proteção animal: é urgente um centro de zoonoses para Chapecó

Cleiton Fossá | Vereador Chapecó – Quatorze de março, Dia Nacional dos Animais. O mandato do vereador Cleiton Fossá aproveitou a data para tratar um assunto que envolve a saúde pública e a...

Chapecó – Quatorze de março, Dia Nacional dos Animais. O mandato do vereador Cleiton Fossá aproveitou a data para tratar um assunto que envolve a saúde pública e a proteção animal, a zoonose. O tema aborda a preocupação relacionada às doenças que os animais podem transmitir para o ser humano e as doenças que os seres humanos podem transmitir para os animais, a chamada "zoonose reversa".

O Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE) ressalta por meio da pesquisa realizada em 2015, que o número de animais representa o dobro do número de crianças em Santa Catarina. São 2,4 milhões de animais e 1,2 milhão de crianças. Cerca de 55,3% da população catarinense têm cachorros em casa.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, no Brasil a média de animais abandonados é de 30 milhões ao ano. Este número corresponde a estimativa de habitantes em 2018 da região Sul, 29.644.48. Inúmeras são as causas do desamparo. Entre as principais: a falta de tempo, a falta de espaço, alergias, mudanças de residência e medo da toxoplasmose durante a gravidez. Entretanto, não existem respostas que possam justificar a negligência.

O Estado tem o compromisso de tomar medidas em relação aos maus tratos contra os animais e, o dever de garantir a saúde para população. De acordo com a Lei 8.080 a saúde é direito fundamental do ser humano e o Estado deve garantir ações que visem reduzir os riscos das doenças.

O tratamento para os animais e as castrações são medidas que auxiliam no controle das zoonoses. Porém, atualmente a Prefeitura Municipal de Chapecó contribui com um valor simbólico para que as ONGs ofereçam assistência aos animais. A parceria rende uma média de 480 castrações ao ano, mas esse número ainda é pequeno considerando que a estimativa é de 60 mil animais abandonados em Chapecó.

Para tanto, faz-se necessário ponderar que as cadelas podem ter de 1 a 14 filhotes, dependendo do seu tamanho. As gatas podem ter de 3 a 7 filhotes. Logo, se considerarmos o mínimo de 3 filhotes para cada reprodução, a prenhez de 160 fêmeas, entre gatas e cadelas, já iria suprir os 480 animais castrados com o dinheiro de auxílio da prefeitura.

Em Chapecó, os protetores dos animais frisam a importância de o município ter um Centro de Controle de Zoonose. É importante destacar que esse espaço ajudaria no controle das doenças dos animais, sem a obrigação de abrigar os bichinhos. Entretanto, muitos centros de zoonoses realizam esse trabalho pensando no bem-estar animal, no sentido de que muitos estão expostos ao frio, chuva, sol e ainda são pouco alimentados.

O mandato defende que o município necessita de um Centro de Controle de Zoonose para oferecer os seguintes serviços para a comunidade chapecoense:

  • Cadastro municipal de animais de estimação;
  • Vacinação;
  • Alimentação;
  • Castração;
  • Diagnóstico laboratorial de zoonoses e identificação das espécies de animais,
  • Adotar medidas que minimizem o risco de transmissão de zoonoses e da ocorrência de acidentes causados por animais peçonhentos e venenosos;
  • Atividades e estratégias de controle da população animal;
  • Elaborar e divulgar amplamente os demonstrativos das ações e resultados alcançados;
  • Criar convênios com clínicas veterinárias e profissionais da área;
  • Campanha publicitária educativa sobre posse responsável, zoonoses.

Faremos uma representação junto ao Ministério Público, buscando a implementação de políticas públicas do bem-estar animal e no controle de zoonoses, acreditamos que seja necessário isto uma vez que a prefeitura não enfrenta essa questão com medidas eficientes para solucionar este problema.

 

Alessandra Favretto, Assessoria de Comunicação Cleiton Fossá

Veja também

Fossá quer mudanças no sistema de numeração27/01/14 Chapecó - O vereador Cleiton Fossá voltou a manifestar preocupação em relação ao sistema de numeração da cidade de Chapecó. O parlamentar explica que recebe inúmeros relatos da comunidade devido os problemas na entrega de correspondências, motivada pela falta de ordem ordenada na numeração das residências, inexistência de placas de identificação nominal das ruas, falta de CEP, entre outros. Em novembro passado,......
Comissão analisará taxa de lixo08/03/14 Chapecó - O vereador Cleiton Fossá apresentou requerimento solicitando que seja realizada uma revisão com relação à Taxa de Coleta de Resíduos (TCR), que ainda gera muitas discussões e polêmicas em Chapecó. Segundo Fossá, a repercussão do tema foi notória......

Voltar para NOTÍCIAS