Postado em 23 de Março de 2019 às 13h52

As ruas e estradas de Chapecó pedem atenção

       Chapecó cresce a passos largos, se comparado a outras cidades brasileiras. Enquanto pólo Agroindustrial, necessita, de suas vias em boas condições para poder escoar a sua produção.

       Além disso, o crescimento acelerado da cidade demanda uma nova configuração e um novo ordenamento no sentido de suas principais ruas. 

       Com base nisso, em março de 2016, os Vereadores de Chapecó aprovaram o Plano de Mobilidade Urbana da cidade, um documento elaborado a partir de um estudo realizado pelo Laboratório de Transporte e Logística (LabTrans) da Universidade Federal de SC (UFSC), visando o melhoramento da mobilidade urbana do município.

        Tal documento, deveria ser colocado em prática por etapas. No entanto, a Prefeitura parece não se preocupar com isso.

        Do mesmo modo, a qualidade das ruas da cidade, seja as pavimentadas recentemente ou as que carecem de manutenção, desanimam e prejudicam o dia-a-dia dos chapecoenses.

        Para que uma cidade cresça e se desenvolva com qualidade, alguns requisitos são indispensáveis, como possuir bons serviços na saúde, na educação e na infraestrutura.

       Tudo isso está diretamente ligado com a eficiência do poder legislativo e executivo municipal.

        Dentro do poder legislativo, possuímos os Vereadores, que carregam o dever de criar Leis, fiscalizar as ações do executivo e receber e identificar os problemas da cidade, gerando encaminhamentos às Secretarias da Prefeitura responsáveis por cada área.

         E cabe ao poder executivo, ou seja, a Prefeitura e suas Secretarias, executar tais encaminhamentos, resolvendo os problemas da população.

        Dessa forma, o mandato do Vereador Cleiton Fossá recebe, diariamente, inúmeras demandas acerca das condições das ruas da cidade.

        Ruas esburacadas e com falta de canalização, pedidos de pavimentação devido a tanta poeira, ruas com desníveis, ausência de sinalização, e, reclamações e reivindicações que poderiam ser evitadas caso o Plano de Mobilidade Urbana fosse executado, estão entre as principais demandas recebidas pelo mandato, via Gabinete Virtual, Redes Sociais e presencialmente, na Câmara de Vereadores. 

        Como é o caso da Maria Angélica, moradora da rua Paschoal Cortellini, no bairro Palmital. Ela nos procurou em maio de 2018, para relatar o problema do excesso de poeira em frente a sua casa:

        "Essa rua é bastante movimentada, passam muitos carros e caminhões todos os dias. Já temos diversos pedidos de asfalto, abaixo-assinado e tudo, mas nunca fomos respondidos pela Prefeitura.

        Vamos fechar a rua em protesto, até que o Prefeitura nos diga alguma coisa. Não dá pra aguentar tanta poeira, é pura terra nas nossas casas, isso aqui não é vida."


        Como ela mencionou, no dia três de maio de 2018, em forma de protesto, os moradores bloquearam a passagem da via, por um determinado período de tempo. 

Na oportunidade, o mandato esteve no local e conversou com os moradores que ali protestavam.

        Foram realizados encaminhamentos a Prefeitura, pedindo para que o problema fosse solucionado definitivamente, com a pavimentação da rua, ou que fossem instaladas lombadas para diminuir a velocidade média dos veículos, temporariamente.

        No entanto, até a presente data, março de 2019, nada foi feito, e os moradores da rua Paschoal Cortellini seguem com esta angústia, inclusive, correndo riscos de adquirirem doenças respiratórias pela grande quantidade de poeira.

        No perímetro rural não é diferente. A falta de cascalhamento e patrolamento das estradas do interior, traz prejuízos não só financeiros, pela dificuldade e até mesmo a impossibilidade dos agricultores escoar a produção agrícola do município.

        Também gera consequências no rendimento escolar de várias crianças, que corriqueiramente, não conseguem se descolar até a instituição, principalmente em dias chuvosos, quando o transporte escolar encontra dificuldades de locomoção, ou até atolando nas estradas. 

        O Rafael Antunes, morador da Linha Campinas, já nos procurou quatro vezes desde o início de 2018 para solicitar a manutenção das estradas da sua comunidade.

        Da mesma forma, foram realizadas Indicações apresentadas na Câmara de Vereadores e direcionadas a Secretária de Agricultura e Serviços Rurais, e até agora, o problema também permanece. Segundo o Rafael:

       "Nossa comunidade sofre com as estradas. Em dia de chuva não dá pra ir pra cidade porque corre o risco de patinar e virar o carro. Eles vêm aqui arrumar, mas é um serviço muito ruim. 

        Qualquer chuva, por menor que seja, deixa tudo ruim de volta. A gente quer um serviço de qualidade."

        Problemas iguais a estes são recebidos todos os dias pelo mandato. O Vereador Cleiton Fossá tem se manifestado de forma incisiva acerca desta triste situação em que se encontra as ruas e estradas de Chapecó.

        "A importância de termos ruas de qualidade em uma cidade do porte de Chapecó é indiscutível. Nossas principais riquezas passam por elas.

        Além de que, são essas mesmas vias que o chapecoense utiliza para se deslocar diariamente, para o trabalho, ao local de estudo, enfim, para o seu destino.

       Ter uma boa mobilidade e qualidade das ruas de um município é um consenso em qualquer debate acadêmico. Podemos encontra
r isso em toda cidade que se preocupa com a qualidade de vida de seus cidadãos. 

        Aqui, isso parece não ser prioridade, seja pela não execução do Plano de Mobilidade Urbana, um importante documento aprovado pelos Vereadores mas que foi esquecido pela Prefeitura, ou pela falta de manutenção ou manutenção adequada das nossas ruas."

       Chapecó precisa crescer em qualidade de vida, não só em tamanho. E para isso acontecer, uma gestão comprometida com esse ponto, se faz necessária.

        Em resposta aos vários Requerimentos protocolados pelo gabinete, a Prefeitura tem se manifestado sobre o não interesse em pavimentar inúmeras vias da cidade, em que seus moradores se organizaram e encaminharam pedido. Sobre isso, o Vereador Cleiton Fossá salienta: 

       "A Prefeitura não tem interesse em pavimentar porque não tem condições financeiras. Isso é reflexo de má gestão, pois o município possui uma dívida próxima de 100 milhões de reais. 

        Mesmo assim, continua gastando de forma irresponsável, com cargos comissionados sem qualificação técnica e que são, na maioria, parentes de vereadores. Além dos valores exorbitantes com publicidade e com estátuas."

        O alcance do Vereador para resolver estes problemas é limitado. Mesmo assim, o mandato é sensível às questões de interesse coletivo e está sempre aberto para receber as demandas da população. 

        Utilizamos os instrumentos legais que estão em nosso alcance para cobrar e pressionar os responsáveis, pedindo para que olhem com atenção as demandas dos chapecoenses.   

       Diversos Requerimentos, Indicações, e Reuniões e Moções já foram realizadas e encaminhadas aos setores responsáveis da Prefeitura, cobrando melhorias e soluções de problemas como estes. 

       Se sua rua ou as estradas da Linha em que você mora também passam por problemas, envie sua demanda para o Gabinete Virtual, estaremos pressionando e cobrando os responsáveis para que tomem as ações necessárias para resolver!

 



Assessoria de Comunicação Vereador Clei
ton Fossá

Veja também

Mobilidade Urbana em tempos de Pandemia em Chapecó16/04        Diante das medidas de prevenção do novo coronavírus e a suspensão do uso do transporte coletivo no município, mas com a liberação de algumas atividades, principalmente nesta semana, muitos cidadãos podem estar se perguntando: Como irei para meu trabalho sem lotação?        Para quem não......
Bancada de oposição recorre ao MP/SC16/01/14 Chapecó - Diante da polêmica em Chapecó sobre a mudança na cobrança da Taxa de Coleta de Resíduos (TCR), que gerou acréscimos que atingiram até 1.000% em alguns casos, a bancada de oposição na Câmara de Vereadores de Chapecó, composta pelos vereadores Nacir......

Voltar para NOTÍCIAS